Síndrome pós-férias é comum nos ambientes de trabalho e pode ser amenizada com o auxílio dos Florais de Bach Originais

Pesquisa indicou que 23% dos profissionais entrevistados passam pela depressão pós-férias. Para eles, os Florais de Bach trazem conforto emocional  

Síndrome pós-férias ou depressão pós-férias é um grupo de sentimentos negativos que pode atacar profissionais dos mais variados setores. Desânimo, irritação extrema, tristeza, apreensão e outros sintomas – juntos ou separados – compõem o quadro, cada vez mais comum nas corporações.

Uma pesquisa da ISMA – BR (International Stress Management Association no Brasil, feita com 540 profissionais das cidades de Porto Alegre e São Paulo mostrou que, na faixa dos 25 aos 60 anos, 23% dos executivos são afetados pelo problema. “Os Florais de Bach originais, por não terem contraindicação, são ideais para o tratamento natural dos quadros depressivos como estes”, recomenda Maria Aparecida das Neves, terapeuta floral e educadora na área.

Se voltar ao ritmo natural de trabalho após as férias é natural, ficar desanimado não o é. Para quem se percebe desanimado, GENTIAN é o floral indicado. Segundo a terapia do Dr. Bach, Gentian é indicado para quem se desapontou frente a um obstáculo (que, nesse caso, é a volta ao cotidiano). É, também, a essência do encorajamento, do resgate da fé – não necessariamente a fé religiosa, mas a fé na vida, na conquista. É adequado para os desanimados e sem interesse após uma atividade; para quem sente melancolia, desinteresse ou depressão e quando falta coragem diante de um obstáculo. Se o problema é falta de energia para lidar com a rotina, HORNBEAN dá ao indivíduo forças para continuar.

Há casos em que a simples ideia de voltar ao trabalho deixa o profissional doente. Essa apreensão em pensar em retornar para a pressão do dia-a-dia é tratada com o floral ASPEN, que trata sentimentos como medos vagos, pressentimentos e presságios ruins, além de combater a ansiedade sem razão clara e o desespero.

Os quadros de ansiedade podem ser trabalhados com a ajuda do RESCUE REMEDY, a essência do resgate, um composto de cinco florais que atua em casos de ansiedade, desespero, nervosismo, estresse e quadros de pânico. Já quem não consegue se concentrar no trabalho e precisa de foco deve optar pelo CLEMATIS, que promove a concentração e traz o profissional de volta ao foco do seu trabalho.

A angústia, a culpa e até a raiva estão presentes nos quadros de depressão pós-férias. Para tratar cada um dos sentimentos há um floral específico: SWEET CHESTNUT para a angústia, porque é o floral que trata desde o sentimento leve de angústia até os quadros mais graves do problema que leva ao desespero; PINE é o floral para quem sente culpa por não estar feliz no trabalho e HOLLY vem ao auxílio dos que sentem raiva por terem de trabalhar após um período de férias.

Nos momentos em que é necessária a readaptação ao trabalho, WALNUT pode ajudar. Trata-se da essência para quem precisa encarar uma nova situação – mesmo que ela já tenha sido vivenciada anteriormente.

Maria Aparecida das Neves diz que é importante que quem deseja apoiar-se nos Florais de Bach procurem por um terapeuta floral, que indicará as essências mais adequadas para cada caso. “É possível ministrar até seis florais concomitantemente, mas para que eles surtam o efeito esperado é importante entender quais são os sentimentos presentes naquela fase da vida do indivíduo para, então, poder tratá-los adequadamente”, ensina.

 

por Maria Aparecida das Neves

Maria Aparecida das Neves é Practitioner e educadora há mais de dez anos. Foi co-autora do livro “Florais de Bach” lançado pela revista Caras (Editora Abril, Coleção Caras Zen) e produziu uma iniciativa inédita, o CD “Música para os Florais de Bach”, desenvolvido em parceria com os músicos Adriano Grineberg e Edu Gomes. É proprietária da Disq Floral, empresa que comercializa e distribui produtos relacionados a Florais de Bach e Aromaterapia.

10/03/2011 at 13:03 Deixe um comentário

Florais: para o seu bem-estar

Você já deve ter visto alguém colocar algumas gotinhas na língua durante um momento emocional difícil. Esses são os famosos florais, mas afinal, para que servem? “Eles são uma possibilidade complementar que equilibra as emoções. Assim, ficamos mais calmos para buscar a causa de cada um dos males que sofremos e encontrar o tratamento adequado, já que nossas emoções influenciam diretamente na nossa saúde. Por isso, tudo o que o médico convencional prescreveu não deve ser abandonado nunca”, conta Marcia Rissato, diretora da Monas Flower, empresa que importa os florais de Bach originais para o Brasil. A especialista ainda diz que “no Hospital do Câncer de Pernambuco os florais já são aplicados como terapia complementar.” E vale lembrar que as essências devem ser sempre indicadas e manipuladas por terapeutas florais, e não há contra-indicações.

Veja abaixo alguns florais e seus efeitos positivos no emocional:

 – Mais coragem: Mimulus

– Bem-estar: Rock Rose

– Autocontrole: Cherry Plum

– Concretizar ações: Clematis

– Revitalizar o físico: Olive

– Ser compreendido: Healther

– Ter mais prazer nas obrigações: Hornbeam

– Esperança: Gorse

– Autoperdão: Pine

– Liderança: Vine

– Entusiasmo: Vervain

 

Por Bianca Iaconelli

Revista SHAPE

15/02/2011 at 14:37 Deixe um comentário

MULHER: forte, bonita e sensível

Nos primórdios da humanidade, a mulher cuidava da moradia e da prole, e o homem, da caça e do ganha-pão. A partir da Revolução Industrial e, principalmente, do pós-guerra do século 20, ela passou a fazer parte do mercado de trabalho. Hoje é comum a mulher acumular funções, sendo provedora da família – até mesmo ganhando mais que o marido –, liderando equipes, empresas e até países. Na busca pela autossuficiência em tempo integral, a mulher passa por grande estresse negativo.

 Na época romântica e boêmia de Vinicius e da Garota de Ipanema, a mulher orgulhava-se de ter o corpo naturalmente arredondado e dourado. Hoje, ela está branca demais, ou negra demais com abuso do sol e do bronzeamento artificial; está bombada com silicone, hormônios masculinos e excesso de musculação. Muitas, por outro lado, preferem a magreza excessiva e não menstruar!

 Há que se ter sempre em mente que a desigualdade começa na composição hormonal e no biorritmo, totalmente diferentes do homem. Estrógeno e progesterona são responsáveis por aquela carência e fragilidade que batem de vez em quando, e isso deve ser encarado de maneira bastante natural.

 O homem – com toda a sua testosterona – sai para guerrear e caçar, nas suas origens, porque tem físico para isso. O pensamento é curto, rápido e sintético. O que não é nenhum demérito, porque, na hora de decidir uma ação de guerra, é preciso ser claro e objetivo. A mulher, ao contrário, é prolixa e discute tudo. O estrogênio a faz gata manhosa e sedutora; a progesterona a torna procriadora, e, na fase estéril e da TPM, a faz “levantar a meia-calça até o pescoço”!

Na menopausa dá pra sentir a enorme falta que fazem os hormônios, quando começamos a perdê-los. Existem algumas mulheres que têm mais testosterona do que outras, o que as faz mais fortes e decididas, física e emocionalmente. Mesmo essas não podem deixar de assumir seu lado feminino, sabendo distinguir seus ciclos naturais e respeitar os limites.

A mulher vai à luta todos os dias, mas também merece perseguir a qualidade de vida, dormindo bem e levantando melhor ainda, permanecendo forte e, ao mesmo tempo, bonita e sensível – e muito gata, mantendo também a libido e o prazer em dia.

Por isso, nada como tirar proveito daqueles momentos de carência e fragilidade, voltando o olhar para si mesma. Dê-se o direito de ser sensual – no mais amplo sentido da palavra – com rituais de banhos e massagens. Permita-se o prazer do aconchego a partir de óleos essenciais, que contêm fitormônios (hormônios vegetais).

Dicas de Samia para alcançar esse prazer:

 

Óleos Essenciais de Gerânio, Sálvia-esclareia, Rosa e Erva-Doce são os que mais levam ao bem-estar amoroso e altamente feminino, repondo o equilíbrio hormonal da mulher. Eles podem ser utilizados de diversas formas – em banhos, escalda-pés, massagens, óleos pós-banho e aromatização de ambientes – sozinhos ou nas mais variadas sinergias. Escolha as combinações pelo senso olfativo.

Banhos: Na ducha, aplique 2 ou 3 gotas de Óleo Essencial de Gerânio – ou na combinação preferida com os outros três óleos indicados – no sabonete líquido ou diretamente na espuma, passando a esponja suavemente por todo o corpo.

Escalda-pés: Em dois litros de água (quente, sem excesso), colocados numa tina ou bacia – o visual é importante, complemente com pétalas, seixos ou bolinhas de gude –, misture uma colher de sobremesa de Óleo Vegetal de Germe de Trigo, e acrescente 15 gotas dos óleos essenciais. Use a criatividade e a sensibilidade olfativa, combinando dois a quatro óleos. Mantenha os pés na solução por cerca de 20 minutos, para um bem-estar que se prolonga pelo corpo.

Pós-Banho: Em uma colher de sopa de Óleo Vegetal de Germe de Trigo (bom para a pele e os vasos capilares), misture 6 gotas dos óleos essenciais, na sinergia preferida. Aplique a mistura no corpo ainda umedecido, fazendo movimentos de automassagem sempre a partir das extremidades para o coração (o centro do corpo): comece pelos pés, subindo para as pernas e o abdômen. A partir de pescoço e braços, siga também no sentido do abdômen.

Aromatização: No aromatizador elétrico (plug), coloque 25 gotas puras dos óleos essenciais, misturando de dois a quatro deles, na proporção desejada.

Perfume: Algumas gotas dos óleos essenciais citados podem ser misturadas a 30 ml de Óleo Vegetal de Jojoba. A sinergia proporciona um perfume personalizado com boa duração, que não rancifica.

Por Sâmia Maluf 

Sâmia Maluf é formada em psicologia, com especialização em adicções, depressão e síndrome do pânico. Possui formação em Aromaterapia e é autodidata em Aromacologia (ciência que estuda o aroma – dos óleos essenciais às essências sintéticas – no comportamento humano como meio de evocar memórias e sensações).

25/01/2011 at 11:49 Deixe um comentário

Férias e estresse: como controlar as situações estressantes no final do ano

As férias de final de ano podem ser divertidas – afinal, é o momento mágico mais esperado do ano –, mas algumas vezes também se tornam uma fonte de estresse, pois não coincidem com a realidade que se esperava encontrar. Então, como lidar com os problemas durante as férias?

Ser realista é o primeiro passo. No caso de encontros familiares, caso você tenha pendências com alguém – uma briga mal resolvida ou uma mágoa guardada – tente não fazer desse momento a hora de ir à forra. Evite entrar em conversas muito profundas, tente não ficar sozinho com a pessoa. Mas isso não quer dizer que você tenha de fingir que tudo está bem. Saber equilibrar esses sentimentos é o melhor para que você não desrespeite seus próprios sentimentos e ao mesmo tempo não se estresse tanto.

O estresse econômico acaba com seu espírito de final de ano?

Saber que seus gastos têm um limite pode ajudá-lo a se estressar menos. As pessoas acreditam que é necessário sair para comprar presentes para todo mundo nessa época perto do Natal, mesmo quando não se pode pagar por isso. O estresse não aparece somente no momento em que você compra um presente caro, mas também toda vez em que as parcelas desse presente caírem na sua conta. Então, não se envergonhe de fazer uma lista de presentes personalizada, onde as pessoas mais importantes têm prioridade e outros amigos ou parentes ganhem algo mais simples.

O pouco tempo para se preparar para o final de ano também pode estressar

Não é preciso parar de fazer as atividades do dia a dia para fazer as compras e preparativos de final de ano. Basta se programar um pouco por dia. Tente também priorizar os compromissos sociais e não se sinta obrigado a comparecer a todas as festinhas com os colegas e amigos. E caso você tenha de ir, não precisa ficar muito tempo. Isso já ajuda você a ter um tempinho para ir onde quer que seja e se preparar para o Natal ou a viagem para a praia, por exemplo.

Como lidar com o final de ano após uma tragédia pessoal recente, como a morte de alguém próximo ou o final de um relacionamento?

Se você está passando por problemas assim, talvez queira evitar alguns eventos sociais, pois você não estará em sintonia com as outras pessoas. Tente ficar perto de quem você realmente gosta ou que lhe dê segurança. Essas pessoas vão saber como apoiá-lo nesse momento difícil e vão entender caso você desista de ir às festas de última hora.

Como lidar com as crianças que querem fazer tudo no final do ano e não sabem o quanto as coisas custam para acontecer?

Ser realista é um aprendizado, e as crianças precisam ser ensinadas. Você não estará estragando os sonhos delas caso faça isso de uma maneira correta. Não há problema algum em explicar para seus filhos que um brinquedo é caro demais. Afinal, até Papai Noel tem um limite de crédito e pode ter escolhido outro brinquedo, pois sua lista de presentes este ano tinha muita gente.

Você também pode dizer que a mamãe, o papai e o Papai Noel tentaram chegar a um acordo sobre o que era melhor para eles. As crianças precisam saber que alguém é responsável por elas e que há limite para tudo, até para os presentes. Não é porque é Natal que elas podem tudo, correto?

Outras estratégias para lidar com o estresse no final do ano

Contenha suas expectativas e seja realista ao extremo. Não espere mais deste final de ano do que de outros finais de anos anteriores. Evitar a televisão também pode diminuir a ansiedade por essa data tão mistificada.

Não é incomum encontrar pessoas que não gostam das festas de final de ano, pois se frustraram muitas vezes anteriormente. Siga seus instintos e não tente fazer o que você sabe que pode dar errado. E caso você se sinta muito ansioso, lembre-se de manter uma rotina mais ou menos fixa e saiba que esses dias também passarão rapidamente.

Mas também saiba que a “depressão de final de ano” pode não ser por causa da época de Natal e ano-novo, mas por conta de outras coisas na sua vida, e esses sentimentos só afloraram porque você saiu da rotina tradicional do trabalho. Caso descubra isso, não se envergonhe ou evite esses sentimentos, mas enfrente-os e procure a ajuda de um profissional de saúde mental, como um psicólogo ou terapeuta.

Créditos: este material aparece originalmente em inglês como

Stress holiday: How to stay calm during the holidays.

Copyright © 2010 da American Psychological Association (APA).

 

08/12/2010 at 13:19 Deixe um comentário

Entenda a baixa Auto-Estima e a Inveja

É espantosa a relação direta que existe entre a baixa auto-estima e o sentimento de inveja dos seres humanos. É incrível como uma pessoa com seu senso de valor em baixa é capaz de se sentir ameaçada com o sucesso e o brilho dos outros! E o mais triste é que este sentimento de incapacidade e de inveja pode levar a pessoa ao desespero e a atos insanos dos quais poderá se arrepender amargamente, no futuro.

É preciso que trabalhemos a auto-estima das crianças e dos jovens, enquanto estão sob os nossos cuidados, para que reforcemos neles a auto-valorização e a autoconfiança. 

Depois de adulto, é muito mais difícil desenvolver sentimentos de amor-próprio em quem sempre se achou pior do que os outros, nos mais diversos aspectos. É difícil, porém, não é impossível! 

Um dos caminhos para você detectar se a sua auto-estima ainda é pequena, é procurar investigar seus sentimentos em relação às pessoas bem-sucedidas. Se você tem o hábito de criticá-las ou de desprezá-las, com certeza você está sentindo inveja delas e não suporta ver as suas realizações positivas. Tudo isso porque você, inconscientemente, pensa que não é capaz de conseguir o mesmo sucesso e felicidade para sua vida, já que se acha menos do que os outros. O escritor espanhol Miguel de Cervantes explica assim: “A inveja vê sempre tudo com lentes de aumento que transformam pequenas coisas em grandiosas, anões em gigantes, indícios em certezas”. 

Cuidado com sentimento tão mesquinho, como a inveja. Você fica tão obcecado com a vida da pessoa que você inveja que se torna cego e ingrato às numerosas oportunidades de vencer que chegam até você. O filósofo inglês Bertrand Russell disse: “O invejoso, em vez de sentir prazer com o que possui, sofre com o que os outros têm”.

 Aprenda a transformar esta emoção negativa da inveja em um suave sentimento de admiração. Sim, admire quem já conseguiu mais do que você na vida e procure seguir seus exemplos de atitude positiva e empreendedora. Com a inveja, você caminha para o abismo da solidão e da miséria; entretanto com a admiração você, com certeza, seguirá a trilha do bem viver.

E para aqueles que são alvo da inveja alheia, por favor, não se escondam do mundo, porque, como bem disse o historiador grego Heródoto, “Mais vale ser invejado que lastimado”.

Portanto, acredite mais em você, nas suas potencialidades e no quanto você pode ser feliz! De uma vez por todas, saia da sua frente e pare de atrapalhar a você mesmo! 

Florais de Bach que ajudam a recuperar Auto-Estima e deixar de lado a Inveja

LARCH: Auto Confiança/Capacidade – Para quem tem falta de confiança em sua capacidade, sente-se inferior às outras pessoas.

CRAB APPLE: Auto Estima da Aparência – Para aquelas pessoas que se sentem impuras na mente e no corpo, não gostam de sua aparência.

HOLLY: Amor Universal – Indicado para pessoas revoltadas, que planejam se vingar, sente ciúmes maldoso ou contrariado, inveja.

 

Por Eliana Barbosa

Consultora em Desenvolvimento Humano, Psicoterapeuta Holística, articulista de jornais e de revistas de circulação nacional e internacional, autora do livro “ACORDANDO PARA A VIDA – Lições para sua transformação Interior”

http://www.elianabarbosa.com.br/

26/10/2010 at 14:09 Deixe um comentário

MÁ ALIMENTAÇÃO: Fator que influência na aprendizagem de crianças

A sociedade brasileira é resultante da conjugação de fatores econômicos, sociais e culturais que podem influenciar na miséria e, consequentemente, na desnutrição, ocasionando déficit na aprendizagem do escolar.

Dada a importância do conhecimento do desempenho escolar de crianças, entre no site www.nutricionistacarol.com e veja a influência da má alimentação, nas crianças de uma escola de rede pública, sobre a aprendizagem do escolar.

 

Dra. Carolina Chuichmam R. dos Anjos

Nutricionista Clínica- CRN3: 27.155

26/10/2010 at 13:14 Deixe um comentário

No mês das crianças…

Seu filho esta com dificuldades de ir ao banheiro? Relaxe, a constipação é um problema comum na infância, mas pode ser evitado, na maioria dos casos, por meio de uma alimentação equilibrada e com uma quantidade equilibrada e adequada de fibras, ainda no primeiro ano de vida.

Acesse http://www.nutricionistacarol.com e saiba mais como prevenir este mal.

 

Dra. Carolina Chuichmam R. dos Anjos

Nutricionista Clínica – CRN3: 27.155

04/10/2010 at 13:29 Deixe um comentário

Posts antigos


Visitantes

CONTADOR
junho 2017
S T Q Q S S D
« mar    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Twitter

Flickr Fotos

Mais fotos

Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

Junte-se a 17 outros seguidores